Oficina de Caleidoscópio

 

 

CALEIDOSCÓPIO



Inventado como brinquedo na Inglaterra, no começo do século 19, hoje está em fase de esquecimento no mundo inteiro. Por ser artesanal, não pode competir com aqueles industrializados, especialmente os eletrônicos, tão apreciados pelas crianças, jovens e mesmo adultos. As pessoas mais idosas ainda não esqueceram a magia das cores cambiantes ao simples girar do tubo colorido, acompanhado de um ruído bem característico.

Em 1817, um ano após a sua concepção, o físico escocês David Brewster (1781-1868) patenteou o caleidoscópio. Pela relevância da publicação do seu livro Treatese on Optics, onde descreve, inclusive, os dados científicos dessa invenção, ele foi elevado à categoria de Cavaleiro do Império Britânico.

Entre a segunda metade do século 19 e a primeira do seguinte, era comum encontrar caleidoscópio nas residências brasileiras de pessoas que o importavam da Europa, para entretenimento de adultos e crianças. A partir daí, o seu conhecimento foi aprendido por nossa gente, que o divulgou no País, e esse objeto lúdico (eu o considero mais do que isso) logo se tornou apreciado por gerações.

A Literatura está repleta de alusões a caleidoscópio. A poetisa Cecília Meireles (1901-1064) reporta-se à sua "área mágica... onde os caleidoscópios inventaram fabulosos mundos geométricos...". O escritor André Gide (1869-1951) proclama: "Um outro brinquedo pelo qual eu era doido: esse instrumento de maravilhas que se chama caleidoscópio" e lamenta: "Creio que as crianças de hoje não o conhecem". E a propósito de um presente que lhe ofertei, por ocasião dos seus 75 anos de idade, o então titular da Arquidiocese de Olinda e Recife, Dom Hélder Câmara (1909-1999), conhecido internacionalmente por seus engajamentos político e social, declara em carta endereçada ao artesão: "O caleidoscópio que Você me deu, além da beleza que Você criou, improvisa cenas cuja beleza, da Terra, nem podemos divisar... ele nos apresenta flagrantes dos Mundos de Mundos que rolam pelas alturas."

Sou dedicado à pesquisa e ao desenvolvimento desse artesanato há mais de 50 anos, e já vendi bem minhas peças em países que visitei (Peru, França, Suiça, Israel), bem assim em várias cidades do País, em exposições e oficinas.

Terapeutas o aconselham para relaxamento, pois as quase infinitas mandalas coloridas e mutantes aquietam a mente e o espírito, especialmente se manusearem o   caleidoscópio ao som de uma música suave.

Para maior conforto da visão e manuseio, este caleidoscópio é construído com 27cm de comprimento e 05cm de diâmetro, com peso em torno de 350gr.

O revestimento externo é feito com material importado (filme holográfico) de cor prata, ouro, bronze, verde, azul, lilás, púrpura ou vermelha, dependendo da disponibilidade no momento da aquisição.

O seu caleidoscópio irá acompanhado de um saquinho de tecido aveludado, com a logomarca da Oficina bordada (veja a foto), que acrescentará distinção ao produto, especialmente se for para oferecer a um amigo ou a si mesmo.

Muito obrigado.